CONDUTA TOMADA PELO CIRURGIÃO-DENTISTA DURANTE O ATENDIMENTO EM PACIENTES PORTADORES DE DIABETES MELLITUS TIPO I

Eriane Rodrigues Vasques do Nascimento, Kellen Aires Silva Viana, Luana Caetano de Azevedo, Lorena Cássia Diniz Araújo, Rafaela Henrique Dias, Victória Kelly de Souza Assis, Wener Pereira Figueiredo, Juliana Santiago da Silva

Resumo


A Diabetes Mellitus Tipo I é uma doença crônica autoimune que acomete grande porcentagem da população mundial. Sabe-se que as células beta pancreáticas são bastante acometidas pelo sistema imunológico, ocasionando na liberação de uma pequena parcela de glicemia no corpo. Tem como finalidade abordar a importância do conhecimento do Cirurgião-Dentista acerca a conduta adequada a ser tomada, concomitante a utilização de um protocolo específico para pacientes portadores da Diabetes Mellitus Tipo I. Métodos: Através de perguntas elaboradas, com estrutura específica e direcionada a três Cirurgiões-Dentistas com especialidades e experiências distintas, conseguiu-se elaborar o presente artigo. Obteve-se como resposta a um dos questionamentos que, todos os profissionais entrevistados seguem um protocolo direcionado aos pacientes portadores da doença, sendo compensados e/ou descompensados. Sabe-se que os pacientes diabéticos requerem cautela ao serem submetidos a procedimentos odontológicos. Estudos afirmam que diabéticos compensados podem ser tratados como indivíduos não portadores de doenças sistêmicas e que em diabéticos descompensados, deve-se realizar o controle glicêmico e solicitar o parecer médico antes de realizar qualquer procedimento.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, C. et al. Atendimento odontológico do paciente com diabetes melito: recomendações para a prática clínica. Revista de Ciências Médicas e Biológicas, v.5, n.2, p. 97-110, mai/ago 2006.

ANDRADE, E. Terapêutica medicamentosa em odontologia. Ed. Artes Médicas, 3ª ed, São Paulo, 2014.

BALDA, C. A.; PACHECO-SILVA, A. Aspectos imunológicos do Diabetes Melito tipo 1. Revista Associação Medica Brasileira, vol.45, n.2 abr/jun 1999.

BRASIL. Conselho Federal de Odontologia. Prontuário odontológico: uma orientação para o cumprimento da exigência contida no inciso VIII do art. 5° do Código de Ética Odontológica. CFO. Rio de Janeiro. 2004. Disponível em: http://www. cfo.org.br. Acesso em: 7 de junho de 2018.

DIANA, J. et al. Innate immunity in type 1 diabetes. Discovery Medicine, Timonium, v. 11, n. 61, p. 513-520, jun 2011.

GROSS, J.L. et al. Diabetes Melito: Diagnóstico, Classificação e Avaliação do Controle Glicêmico. Arquivo Brasileiro de Endocrinologia e Metabolismo, vol. 46, n.1, feb 2002.

HOBER, D. et al. Pathogenesis of type 1 diabetes mellitus: interplay between enterovirus and host. Nature Reviews Endocrinology, London, v.6, n.5, p. 279-289, may 2010. doi: 10.1038/nrendo.2010.27.

KING, H. et al. Global burden of diabetes, 1995-2015: prevalence, numerical estimates and projections. Diabetes Care, v.21, n. 9, sep 1998.

NETO, J. et al. O paciente diabético e suas implicações para conduta odontológica. Revista Dentística on line,n.23, 2012.

NEVILLE, N. et al. Oral and Maxillofacial Pathology. 3ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier Health Sciences, 2009.

SOUSA, A. A. et al. Diabetes Melito tipo 1 autoimune: aspectos imunológicos. Universitas: Ciências da Saúde, v.14, n.1, p.53-65, jan/jun. 2016.

TERRA, B. G. et al. O cuidado odontológico do paciente portador de Diabetes Mellitus Tipo 1 e 2 na atenção primária à saúde. Revista APS, vol.14, n.2, p. 149-161, abr/jun 2011.

TÓFOLI, G.R. et al. Tratamento odontológico em pacientes com diabetes mellitus. Revista da Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas, São Paulo, v.59, p. 306-310, 2005.

WANNMACHER, L.; FERREIRA, M. B. Farmacologia Clínica para Dentistas. Ed. Guanabara, 2ª ed, p. 349, 1999.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.