INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO ASSOCIADA AO NÚMERO DE AMOSTRA DE UROCULTURA

José Carlos Laurenti Arroyo, Daniela Schimitz de Carvalho

Resumo


As infecções do trato urinário (ITU) estão entre as infecções bacterianas mais comuns que acometem a população durante toda a vida, de qualquer idade e gênero. A ocorrência de ITU é um problema crescente sendo que o diagnóstico e o tratamento realizados de forma inadequada podem agravar o quadro do paciente. Diante disso, objetivou-se, com este estudo levantar o número de produções científicas de saúde nas bases de dados virtuais sobre o número quantitativo de amostras de pacientes que apresentam ITU, após confirmação por urocultura ou exame de urina. Trata-se de uma revisão bibliográfica de caráter analítico e as bases de dados a serem pesquisadas: Google Acadêmico, LILACS e SCIELO. Foram estabelecidos os critérios de inclusão artigos publicados na literatura nacional no período de 2014 a 2018 e exclusão dos estudos os artigos publicados antes de 2014. Os artigos selecionados da literatura apontaram que a média do percentual de amostras de urocultura positivas para ITU foi de 28,01% em relação ao total de urocultura e a média percentual de urocultura positiva foi de 76,52% para o sexo feminino e 23,48% para o sexo masculino. Essa pesquisa mostrou que as mulheres são mais vulneráveis que os homens e ter fatores anatômicos que contribuem para infecção.

Texto completo:

PDF

Referências


AFONSO, Liliane Ribeiro; WAGNER, Ricardo. Exame de urina tipo I em uma comunidade do Bairro Alto-Curitiba-PR. Cadernos da Escola de Saúde, v. 1, n. 9, 2017.

ALVES, M. L. Análises laboratoriais. 1 ed. São Paulo: DCL, 2011. 112p. ISBN 978-85-368-1197-0.

BAIL, Larissa et al. PERFIL DE SENSIBILIDADE DE BACTÉRIAS ISOLADAS EM UROCULTURAS DE PACIENTES ATENDIDOS EM UM HOSPITAL BRASILEIRO. Cadernos da Escola de Saúde, v. 17, n. 2, p. 52-60, 2018.

BARRETO, Débora Machado et al. ANÁLISE DAS SOLICITAÇÕES DE NOVA COLETA PARA UROCULTURA EM UM LABORATÓRIO NA CIDADE DE ARACAJU-SE. Interfaces Científicas-Saúde e Ambiente, v. 4, n. 1, p. 19-27, 2015.

BRAGANÇA, Matheus Henrique; DA SILVA, Lucas Reis; DOS SANTOS, Cássio Antônio Lanfredi. A CORRELAÇÃO DAS UROCULTURAS E EAS DE URINA PARA O DIAGNÓSTICO DE INFECÇÃO URINÁRIA. JORNADA CIENTÍFICA DA UNESC, n. 1, 2018.

CAMARGO, A. L. P. B. Caracterização de beta-lactamases de espectro estendido e determinação de grupos filogenéticos em isolados de Escherichia coli recuperados de pacientes em um Hospital Universitário de São Paulo. 2011. Tese (Doutorado em Microbiologia) – Instituto de Ciências Biomédicas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em:< http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/42/42132/tde-10082011-174038/ptbr.php>. Acesso em: 31 out. 2017.

CORRÊA, Eliene Ferreira; MONTALVÃO, Edlaine Rodrigues. Infecção do trato urinário em geriatria. v. 37, n. 7 p. 625-635. Jul-Ago, 2010. Disponível em: < revistas.ucg.br/index.php/estudos/article/viewFile/1831/1135>. Acessado em: 25 out. 2017.

COSTA, L. C.; BELÉM, L. de F.; SILVA, P. M. de F. e; PEREIRA, H. dos S.; SILVA JÚNIOR, E. D. da; LEITE, T. R.; PEREIRA, G. J. da S. Infecções urinárias em pacientes ambulatoriais: prevalência e perfil de resistência aos antimicrobianos. RBAC, vol. 42, 2010. Disponível em: Acesso em: 6 nov. 2017.

DE AZEREDO CATTO, Andréa Josiane; DE AZEREDO, Andreza Mariane; WEIDLICH, Luciana. Prevalência e perfil de resistência de Escherichia coli em uroculturas positivas no município de Triunfo/RS. Revista da AMRIGS, v. 60, n. 1, p. 21-25, 2016.

DE OLIVEIRA, Sergio Marcelino; DOS SANTOS, Ludimylla Lins Gondim. Infecção do trato urinário: estudo epidemiológico em prontuários laboratoriais/Urinary tract infection: epidemiological study in laboratorial records/Infección del trato urinario: estudio epidemiológico en prontuarios de laboratorio. JOURNAL HEALTH NPEPS, v. 3, n. 1, p. 198-210, 2018.

DIAS, Ilo Odilon Villa; COELHO, Alessandra Mello; DORIGON, Ionara. INFECÇÃO DO TRATO URINÁRIO EM PACIENTES AMBULATORIAIS: PREVALÊNCIA E PERFIL DE SENSIBILIDADE AOS ANTIMICROBIANOS EM ESTUDO REALIZADO DE 2009 A 2012. Saúde (Santa Maria), v. 41, n. 1, p. 209-218, 2015.

DOS SANTOS ALVES, Débora Monteiro; EDELWEISS, Marcos Krahe; BOTELHO, Lúcio José. Infecções comunitárias do trato urinário: prevalência e susceptibilidade aos antimicrobianos na cidade de Florianópolis. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, v. 11, n. 38, p. 1-12, 2016.

ELIAS, Darcielle Bruna Dias. Perfil de sensibilidade antimicrobiana em urinoculturas de um hospital universitário do estado do Ceará no período de janeiro a junho de 2015. RBAC, v. 49, n. 4, p. 381-9, 2017.

FARIA, Ronaldo José; BAZONI, Patrícia Silva; FERREIRA, Carlos Eduardo Faria. PREVALÊNCIA E SENSIBILIDADE DE MICROORGANISMOS ISOLADOS EM UROCULTURAS NO ESPIRITO SANTO, BRASIL. Infarma-Ciências Farmacêuticas, v. 28, n. 1, p. 05-09, 2016.

FERREIRA, J. P. N. C. Infecção do tracto urinário. Tese (Mestrado em análises clínicas) – Faculdade de farmácia. Universidade do Porto. 2014. Disponível em:< http://sigarra.up.pt/ffup/pt/publs_pesquisa.show_publ_file?pct_gdoc_id=23948&pct_publ_id=104735>. Acesso em: 02 nov. 2017.

FIGUEIREDO, J. A. Infecção urinária. NARDOZZA, J. A.; ZERATI, F. M.; REIS, R.B. Urologia fundamental. São Paulo: Planmark, p. 274-279, 2010. Disponível em:. Acesso em: 10 novembro 2017, ISBN 978-85-60566-17-4.

HENRY, John B. Diagnósticos Clínicos e Tratamento por Métodos Laboratoriais. 20. ed. Barueri: Manole, 2008.

KONEMAN, Elmer W. et al. Diagnóstico microbiológico: texto e atlas colorido. 6 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010. ISBN 978-85-277-1377-1.

LIMA, Andréa Danielle Parreiras. Perfil de infecções bacterianas do trato urinário e resistência aos antibióticos. 2017.

LOPES, P. M. et al. Escherichia coli agente etiológico de infecções do trato urinário em pacientes do município de Viçosa – MG. Revista brasileira de farmácia, Minas Gerais, v. 93, n. 1, p. 43-47, 2012. Disponível em:< http://rbfarma.org.br/files/rbf- 2012-93-1-8.pdf>. Acesso em: 30 out. 2017.

MACHADO, Pâmela Araujo; WILHELM, Ethel Antunes; LUCHESE, Cristiane. Prevalência de infecções do trato urinário e perfil de susceptibilidade a antimicrobianos de bactérias isoladas. Disciplinarum Scientia| Saúde, v. 18, n. 2, p. 271-287, 2017.

MUNDT, Lillian A.; SHANAHAN, Kristy. Exame de Urina e de Fluidos Corporais de Graff-2ª Edição. Artmed Editora, 2016.

NASCIMENTO, W. L. S.; OLIVEIRA, F. M.; ARAÚJO, G. L. S. Infecção do trato urinário em gestantes usuárias do sistema único de saúde. Ensaios e ciência: ciências biológicas, agrárias e da saúde, São Paulo, v.16, n. 4, p. 111-123, 2012. Disponível em:< http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=26029236009>. Acesso em: 02 nov. 2017.

NEVES, Paulo Augusto. Líquidos biológicos: urina, líquidos cavitários e líquido sinovial. São Paulo: Roca, 2011.

PORTH, C. M.; MATFIN, G. Fisiopatologia. Traduzido por Aline Vecchi et al. 8 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010. 2v. ISBN 978-85-277-1671-0.

ROCHA, Lívia Santos et al. INFECÇÕESDO TRATO URINÁRIO: ETIOLOGIA SEGUNDO IDADE E SEXO. Revista Eletrônica Faculdade Montes Belos, v. 8, n. 1, 2015.

RODRIGUES, Luana Lorena Silva et al. Alta Frequência de Infecção no Trato Urinário em Idosos Asilados em Santarém, Pará. Revista EM FOCO-Fundação Esperança/IESPES, v. 1, n. 21, p. 10-15, 2014.

SALCEDO, M. M. B. P. et al. Infecção urinária na gestação. Revista brasileira de medicina, Porto Alegre, v. 67, n. 8p. 090, 2010. Disponível em:. Acesso em: 05 nov. 2017.

STRASINGER, Susan King; DI LORENZO, Marjorie Schaub. Urinálise e fluidos corporais. 5.ed. São Paulo: LMP Editora, 2009.

TAVARES, Inês Vilas-Boas; SÁ, Armando Brito de. Perfil de prescrição de antimicrobianos para as infecções do tracto urinário nos cuidados de saúde primários. Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, v. 30, n. 2, p. 85-100, 2014.

TRABULSI, L. R.; ALTERTHUM, F. Microbiologia. 5 ed. São Paulo: Atheneu, 2008. 760p. ISBN 978-85-7379-981-1.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.