AVALIAÇÃO PARASITOLÓGICAS EM CRIANÇAS EM CRIANÇAS DO PROJETO NOVO HORIZONTE NO MUNÍCIPIO DE MANHUAÇU, MINAS GERAIS

Humberto Tostes de Faria Sucasas, Flávio Cunha de Faria, Emanuele Gama Dutra Costa, Juliana Santiago Silva

Resumo


As doenças parasitárias representam um aspecto comum e preocupante na realidade brasileira, já que o país ainda sofre com a carência de infraestrutura sanitária e a principal forma de veiculação destas doenças ocorre por água e alimentos contaminados. As crianças pertencem ao grupo mais vulnerável a ser afetado por essas infecções, tendo como consequência déficit estatural e ponderal e anemia ferropriva. Os parasitas mais comuns são os helmintos e alguns protozoários. Nesse sentido, o presente estudo, de cunho transversal e descritivo, teve como participantes crianças, de 5 a 13 anos, frequentadoras do Projeto Novo Horizonte do Bairro Bom Pastor, em Manhuaçu e objetiva levantar dados parasitológicos dos participantes. Após a apresentação do projeto para as acrianças e responsáveis, consentimento e a aprovação o Comitê de Ética e Pesquisa, foram realizadas coletas de dados das crianças, para análise laboratorial de sangue e fezes. 47 crianças do Projeto Novo Horizonte foram identificadas e tiveram seus dados antropométricos coletados, 27 do sexo feminino e 20 do sexo masculino. As crianças foram separadas em grupos de acordo com a idade.  Foram identificados casos positivos para infecção por parasitas intestinais (n=4). De acordo com os resultados, estas crianças serão tratadas e conscientizadas, juntamente com seus responsáveis, de maneira solucionar quadros de parasitoses e anemia e aumentar a qualidade de vida.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, José Arthur Ramos, FILHO, Eladio Santos. Parasitoses intestinais na infância. Pediatria Moderna ,1ª edição, fev 2015. Disponível em: http://ftp.medicina.ufmg.br/ped/Arquivos/2015/RevisaoParasitosesNaInfancia_13022015.pdf. Acesso em: 22/06/2015.

ARAUJO FILHO, H. B. et al. Parasitoses intestinais se associam a menores índices de peso e estatura em escolares de baixo estrato socioeconômico. Rev. paul. Pediatr. São Paulo, v. 29, n. 4, p. 521-528, dec. 2011. Disponível em: . Acesso em: 09 set. 2017.

BELLOTO, Marcus Vinicius Tereza et al. Enteroparasitoses numa população de escolares da rede pública de ensino do Município de Mirassol, São Paulo, Brasil. Rev Pan-Amaz Saude, Ananindeua, v. 2, n. 1, p. 37-44, mar. 2011. . Disponível em . acessos em 22 jun. 2018. http://dx.doi.org/10.5123/S2176-62232011000100004

CANTOS G. A, DUTRA R. L, KOERICH J. P. K. Ocorrência de anemia ferropriva em pacientes com enteroparasitoses. Saúde Rev. 2004;5:43-8.

CAVAGNOLLI, Natália Inês, CAMELLO, Jéssica Tadiello, TESSER, Shimena, POETA, Julia, RODRIGUES, Adriana Dalpicolli. Prevalência de enteroparasitoses e análise socioeconômica de escolares em Flores da Cunha – RS. Rev Patol Trop Vol. 44 (3): 312-322. Jul-set. 2015. Disponível em: https://revistas.ufg.br/iptsp/article/viewFile/38018/19152. Acesso em 22/06/2018

EBLING, S.B.D.; FALKEMBACH, E.M.; SILVA, M.M.; SILVA, S.O. Popular education and health education: a necessary link in health practices. J Nurs. UFPE on line. 6(9): 2285-9, 2012.

FERREIRA, B. S. et al. Aceitabilidade de feijão preto (Phaseolus vulgaris L.), fortificado com micropartículas de ferro. Rev. Ceres (Impr.), Viçosa, v. 58, n. 5, p. 548-553, out. 2011. Disponível em: . Acesso em: 10 set. 2017.

FONSECA, E.O.L.; TEIXEIRA, M.G.; BARRETO, M.L.; CARMO, E.H.; COSTA, M.C.N. Prevalência e fatores associados às geo-helmintíases em crianças residentes em municípios com baixo IDH no Norte e Nordeste brasileiros. Cad. Saúde Pública. 25(1):143- 152, 2010.

GUEDES, Dartagnam Pinto, ALMEIDA, Francisléia Nascimento, NETO, Jaime Tolentino M., MAIA, Maria de Fátima de M., TOLENTINO, Thatiana Maia. Baixo peso corporal/magreza, sopreso e obesidade de crianças e adolescentes de uma região brasileira de baixo desenvolvimento econômico. Rev Paul Pediatr 2013; 31 (4): 437-43. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rpp/v31n4/pt_0103-0582-rpp-31-04-00437.pdf. Acesso em: 27/06/2018.

HOTEZ, P.J.; FENWICK, A.; SAVIOLI, L.; MOLYNEUX, D.H. Rescuing the bottom billion through control of neglected tropical diseases. The Lancet. 373(9674): 1570-1575, 2009.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. IBGE: Cidades. Disponível em: . Acesso em: 15 maio 2017.

MARTINS S.; LOGAN S.; GILBERT R. Iron therapy for improving psychomotor development and cognitive function in children under the age of three with iron deficiency anaemia. The Cochrane Database of Systematic Reviews, 2001.

NEVES D. P, MELO A. L, LINARDI P M, VITOR R W A. Parasitologia humana. Atheneu: São Paulo, 2005, p. 494.

NORTON R.C.; COSTA A B.P. et al. Estado nutricional e prevalência de anemia em crianças que frequentam creches em Belo Horizonte, Minas Gerais. Revista Paulista de Pediatria, São Paulo, 26(1): 6-13, 2008

PASRICHA, S.; DRAKESMITH H.; BLACK J.; HIPGRAVE D.; BIGGS B.A. Control of iron deficiency anemia in low- and middle-income countries. Blood January 25, 2013. doi: 10.1182/blood-2012-09-453522.

PEREIRA, Liliane G.F., GAIARDO, Viviane. Parasitoses intestinais como fator de risco para aprendizado escolar. Revista Científica Semana Acadêmica. Fortaleza, ano MMXVI, Nº. 000080, 28/01/2016. Disponível em: https://semanaacademica.org.br/artigo/parasitoses-intestinais-como-fator-de-risco-para-aprendizado-escolar. Acessado em: 22/06/2018

PORTAL CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION – CDC. Disponível em: . Acesso em: 08 set. 2017.

PORTO, C. C. Semiologia Médica. 7.ed. Guanabara Koogan, 2015.

REIS, P.R.M, DINIZ, J.A.F.F, PENNA, K.G.B.D, e col. Correlação entre eosinofilia e

protoparasitose por Giardia lamblia em crianças. Revista Brasileira de Análises

Clínicas 2007; 39: 237-239.

RESENDE, L. M. H., VIANA, L. G., VIDIGAL, P. G. Protocolos Clínicos dos Exames Laboratoriais. Secretaria do Estado de Minas Gerais. Universidade Federal de Minas Gerais, 2009. Disponível em: http://www.uberaba.mg.gov.br/portal/acervo/saude/arquivos/oficina_10/protocolos_exames_laboratoriais.pdf. Acesso em: 16 de outubro de 2017.

REY L. Bases da parasitologia médica. 2a ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2002.

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE DE MINAS GERAIS, MG. Universidade Federal de Minas Gerais, faculdade de Medicina. Uberaba, 2009. Disponível em: http://www.uberaba.mg.gov.br/portal/acervo/saude/arquivos/oficina_10/protocolos_exames_laboratoriais.pdf. Acesso em: 16 de outubro de 2017.

SANTOS, J.P. Grau de eosinofilia em enteroparasitoses em um laboratório de Paulo

Afonso-BA. Revista News Lab 2011; 105: 134-144.

WHO: Research Priorities for Helminth Infections: technical report of the TDR disease reference group on helminth infections. In: WHO Technical Report Series. vol. 972; 2012.

YAMAMOTO R, NAGAI N, KAWABATAN M, LEON WU, NINOMIYA R, KOIZUMY N. Effect of intestinal helminthiesis on nutritional status of schoolchildren. Southeast Asian J Trop Med Public Health 31:755-761, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.