POLUIÇÃO VISUAL: UM ESTUDO DE CASO EM MANHUAÇU, MG

Fernando Pimentel, Jeane de Fátima Cunha Brandão Cunha Brandão, Isac Jonatas Brandão

Resumo


O objetivo do trabalho foi mostrar a percepção dos moradores em relação à poluição visual. A pesquisa quanto à abordagem foi quantitativa, quanto aos objetivos foi descritiva e quanto aos procedimentos técnicos pesquisa de levantamento. Para a coleta de dados foi utilizada a amostragem não probabilística por conveniência, aplicando-se 50 questionários no centro da cidade e 50 questionários no bairro Coqueiro, ambos com oito perguntas. Também foi registrada por meio de fotografias a situação da poluição visual nas ruas, praças e avenidas no centro da cidade. Observou-se que a população possui percepção da poluição visual e que ela é provocada pelo excesso de publicidade. A maioria dos entrevistados não sabia que a poluição visual em excesso causa danos à saúde, apesar de 86% ter respondido que já se sentiu algum mal estar como dor de cabeça, cansaço mental ou problemas que dificultaram a visão ao andar por alguma rua ou avenida que possui excesso de publicidade, mostrando que a maioria não associa os incômodos sentidos com danos à saúde. Sugere-se que se invista na conscientização dos comerciários, empresários, políticos entre outros, com relação ao uso indiscriminado da propaganda, bem como haja a aplicação das penalidades previstas na legislação.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.