ESTUDO DESCRITIVO DA INCIDÊNCIA DE SÍFILIS CONGÊNITA NO MUNICÍPIO DE MANHUAÇU

André Cristiam Barbosa Correa, Gabriela Braz Emerick, Izabel Cristina Fernandes, Raema Faria de Souza, Daniela Schimitz de Carvalho

Resumo


Atualmente, a sífilis persiste como grave problema de saúde no mundo, caracterizada como uma doença infecciosa de notificação compulsória. Estes dados estão relacionados com a qualidade assistencial pré-natal, informando os óbitos fetais ou perinatal, prematuridade, baixo peso ao nascer, lesões neurológicas e outras sequelas, bem como importantes custos diretos e indiretos em saúde pública (MAGALHÃES et al. 2013). A Organização Mundial da Saúde (OMS) estabeleceu em 2005 quatro pilares para a sífilis congênita: garantir política governamental com programa bem estabelecido, aumentar o acesso e a qualidade dos serviços de saúde materno infantil, identificar e tratar todas as gestantes portadoras de sífilis e seus parceiros, estabelecer vigilância, monitoração e avaliação do sistema de saúde. O objetivo desse trabalho é analisar a incidência de sífilis na gestação em um município da zona da mata mineira, levantando ações para minimizar o número de casos.


Texto completo:

PDF

Referências


MAGALHÃES, Daniela Mendes dos Santos et al. Sífilis materna e congênita: ainda um desafio. Cadernos de Saúde Pública, v. 29, p. 1109-1120, 2013.

SOCIEDADE BRASILEIRA DE MECIDINA TROPICAL. Aumento da incidência de sífilis: profissionais devem ficar atentos ao diagnóstico e prevenção. 2018. Disponivel em: https://www.sbmt.org.br/portal/increased-incidence-of-syphilis-professionals-must-be-aware-of-diagnosis-and-prevention/. Acessado em: 07/05/2019.

SONDA, Eduardo Chaida et al. Sífilis Congênita: uma revisão da literatura. Revista de Epidemiologia E Controle de Infecção, v. 3, n. 1, p. 28-30, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.