PARAMENTAÇÃO CIRÚRGICA E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA PREVENÇÃO DE CONTAMINAÇÃO MICROBIOLÓGICA

Cristhy Helem de Oliveira Portes, Daniel Montoni, Laisa Guedes Mariano, Rodrigo Bernardo, Yasmim Faria Soares, Renata de Freitas Mendes

Resumo


O uso da paramentação cirúrgica visa principalmente a proteção dos pacientes contra contaminação do sítio cirúrgico por microrganismos presentes no ambiente, profissionais, materiais e equipamentos em sala de operações (SO).Constituem-se de: propés, uniforme privativo (jaleco e calça), gorro, máscara, avental, luvas, campos da área cirúrgica e protetor ocular (AYLIFFE et al.1992). A infecção do sítio cirúrgico é uma das causas mais comuns de infecção hospitalar. Apesar de se manifestar após a cirurgia, a maior chance de contaminação ocorre durante a cirurgia, já que os sítios anatômicos são invadidos por tempo prolongado, com intensa manipulação. Portanto, é durante a cirurgia que o controle de infecção deve ser redobrado para evitar essas infecções relacionadas a assistência a saúde (LACERDA et al.,1992). O objetivo desse estudo é expor de forma clara evidências que, de fato, a paramentação é indispensável durante procedimentos cirúrgicos e eficazes no controle de transmissão de microrganismos, e, consequentemente, no controle de infecção hospitalar.


Texto completo:

PDF

Referências


AYLIFFE, G.A. et al. Control of hospital infection. London, Chapman & Hall Medical. 1992.p. 211-30. cap. 11: Asepsis in operating theatres.

LACERDA, R.A. Fatores de risco relacionados ao ambiente e a limpeza da sala de operações. In: LACERDA, R.A. et al. Buscando compreender a infecção hospitalar no paciente cirúrgico. São Paulo, Atheneu, 1992.cap.8,p.115-24. LACERDA, R.A. et al. Buscando compreender a infecção hospitalar no paciente cirúrgico. São Paulo, Atheneu, 1992. p.59-60.

MEDEIROS, Aldo C. et al. Infecção hospitalar em pacientes cirurgicos de Hospital Universitario. Acta cir. bras., Natal, RN, v. 18, supl. 1 p. 15-18, 2003. Disponivel em: .Acesso em :10 out. 2013.

PAZ, M.S.O. et al. Paramentação cirúrgica: avaliação de sua adequação para a prevenção de riscos biológicos em cirurgias. Parte I: a utilização durante as cirurgias. Rev. Esc. Enf. USP, v. 34, n. 1, p. 108 -117, 2000.

REIS, Ubiane Oiticica et al. Controle da infecção hospitalar no centro cirúrgico: revisão integrativa. Revista Baiana de Enfermagem, Salvador, v. 28, n. 3, p. 303-310, set./dez. 2014.

Coordenação de Controle de Infecção Hospitalar. CCIH/HUCFF/UFRJ. Agosto 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.